15 de agosto de 2012

Paz, Amor e Rock'n'roll: 43 anos de Festival Woodstock

O Festival Woodstock, marco na música e na história mundial, completa 43 anos

Por: Música na Veia

Há exatos 43 anos, na fazenda Max Yasgur, em Bethel, NY, se iniciava o Woodstock Music & Art Fair, ou simplesmente Woodstock. Em uma sexta-feira chuvosa, o que era pra ser um evento pago para 186 mil pessoas se tornou um festival aberto e gratuito, com mais de 500 mil espectadores.

Mais do que um festival com 32 dos principais artistas da época,  o Woodstock representou a mentalidade de jovens com ideias contrários à Guerra Fria (que estava em seu auge) e exemplificou para o mundo os movimentos hippie e de contra cultura.  Esses jovens vestiam roupas coloridas, eram cabeludos  e principalmente, lutavam por uma quebra de valores de uma sociedade conservadora. Pela primeira vez jovens americanos se recusaram a alistar no exército.

Entre os que se apresentaram no primeiro dia, estavam Ravi Shankar, o cantor indiano pai da Norah Jones, The Incredible String Band, grupo escocês pioneiro no estilo psych folk e Joan  Baez, cantora norte-americana de fortes opiniões políticas.

O norte-americano Richie Havens foi o responsável pela abertura do festival. Repedindo inúmeras vezes o refrão de “Freedom”, o cantor natural de Nova York, tocou por cerca de três horas , até ficar sem canções. O lançamento do filme “Woodstock” um ano depois, projetou a carreira do músico mundialmente. “Às vezes eu me sinto como uma criança órfã de mãe. Liberdade, Liberdade, Liberdade”, diz a canção. Veja um trecho  performance de Havens em 1969: