17 de janeiro de 2014

Cazuza: 5 curiosidades

Cinco fatos que talvez você não saiba sobre o poeta e cantor Cazuza

Por: Música na Veia

Reprodução

Um dos maiores ícones do rock nacional lançava em novembro de 1985 seu primeiro álbum solo, “Exagerado”. Há mais de vinte e oito anos, o mundo conhecia as canções “Exagerado”, “Codinome Beija-Flor”, “Boa Vida”, “Mal Nenhum”, entre as dez faixas que viraram hinos da juventude brasileira nos anos 1980. Conheça cinco curiosidades sobre a vida deste artista tão querido chamado Cazuza.

1) O apelido
Cazuza é o nome de um inseto, uma espécie de vespa, primo do marimbondo. Mas no Nordeste do Brasil, “cazuza” é um outro modo de dizer “moleque”. O pai do cantor, João Araújo, de origem nordestina, ao saber que teria um filho, começou a chamá-lo de Cazuza mesmo antes que ele nascesse. O apelido ficou, e hoje poucos sabem o seu nome de batismo: Agenor de Miranda Araújo Neto. Já entre os amigos mais íntimos, seu apelido desenvolveu para o carinhoso “Caju”, e depois para o rebuscado “Caju Escalibur”.

2) A fotografia
Além da música, uma das grandes paixões de Cazuza era a fotografia. Ele foi estudar a arte nos Estados Unidos, na Universidade de Berkeley. Ele ficou por lá durante sete meses, o suficiente para apurar seu olhar e adquirir alguma técnica. Ele adorava fotografar e ser fotografado, e tinha um apreço especial pelas imagens em branco e preto.

3) O background fonográfico
O pai de Cazuza, João Araújo, era presidente da gravadora Som Livre. Cazuza foi “obrigado” a trabalhar lá, pois seu pai não queria vê-lo numa vida de “vagabundagem”. O cantor trabalhou no departamento artístico, fazendo a triagem de fitas de cantores novos e na assessoria de imprensa.

4) Amor canino
Cazuza via nos animais grandes companheiros, e tinha predileção pelos cães. Ele gostava de dar nomes de gente a seus cachorros, como Wanderley (em homenagem ao cantor Wanderley Cardoso) e Mané.

5) Xou da Xuxa
Xuxa, a Rainha dos Baixinhos, certa vez encomendou a Cazuza e Ezequiel uma música para o seu Xou. Cazuza não tinha experiência em composição infantil e acreditava que não era um trabalho que poderia satisfazê-lo criativamente. No entanto, Ezequiel insistiu que topassem, pois ele estava precisando comprar um apartamento. Sensibilizado pelo desejo do amigo, Cazuza deu de presente a Ezequiel o primeiro apartamento que havia comprado com seu próprio dinheiro. Xuxa ficou sem composição.

Cazuza no Rio
No próximo domingo, vamos poder matar um pouquinho as saudades do poeta. Isto porque a GVT, em parceria com o Ministério da Cultura, está organizando um show com projeção de um holograma de Cazuza, que vai cantar ao lado de uma banda composta por George Israel (do Kid Abelha, que também é o diretor artístico do espetáculo), Leoni e Guto Goffi. O show vai rolar no dia 19, com abertura às 19h, na Praia de Ipanema (Rio de Janeiro – RJ), com entrada gratuita, sem necessidade de retirada de ingressos (sujeito à lotação controlada pela prefeitura do Rio). A apresentação terá participações especiais de Gal Costa e Paulo Ricardo. Imperdível.

Fiquem com “Exagerado”: